A arte de Alexandre Heberte criada no tear

Obra de Alexandre Heberte na exposição Grafismo Têxtil

Muitas pessoas imaginam que a arte esteja vinculada apenas a suportes como telas, ou técnicas como a escultura. O trabalho de Alexandre Heberte com o tear de pente liço é uma prova a mais de como uma alma de artista consegue se manifestar de muitas outras maneiras.

 

Alexandre Heberte no processo de tecelagem

Alexandre se intitula artesão da tecelagem, e como tal possui muitos trabalhos de uso pessoal e decoração que enchem os olhos femininos de brilho e desejo. Seus xales ricos de tramas e texturas são muito bem feitos e suas bolsas com uma mistura brasileira de materiais novos e reciclados saem totalmente do comum. Peças únicas que chamam atenção onde estiverem.

Fora isso Alexandre se dedica muito à pesquisa na combinação de fios e materiais, além do entendimento de como suas tramas de tear podem passar mensagens de teor artístico. Tanto seu trabalho tem sido reconhecido, que sua participação em exposições de alto nível são constantes, com seu nome sempre ao lado de outros grandes nomes da tecelagem como Renato Imbroisi e Ivone Rigobello. E isso é muito merecido.

Painel decorativo que Alexandre chama de Exercício de Tecelagem
 

Hoje eu trouxe para vocês esse depoimento que para mim é extremamente rico quando menciono aos meus leitores o quanto é importante a busca da superação na qualidade e acabamento de nossas peças. Hoje quem vai falar para vocês sobre isso é Alexandre Heberte, mais que um tecelão, um verdadeiro artista. Conta Alexandre:

 

Graças ao tear passei a conhecer pessoas incríveis. José Donizete, Juan Ojea, Bete Landmann, Henrique Schucman, Tiyoko Tomikawa e Sylvia Ribeiro, são os mestres que atualmente me iluminam de conhecimento e técnicas. Há muitos outros com os quais gostaria de poder aprender. Estudar para não passar informação errada. Para crescer como profissional, sim, sempre.

 

 

Peças durante o processo de confecção no tear de pente liço

Tecer é bem simples. Basta prender os fios do urdume, que passam pelo pente, nos eixos traseiro e dianteiro, e através da abertura da cala, passar a navete preenchida com o fio que dará forma a trama. Mas, existe o antes, o durante e o depois assim como tudo na vida; que textura quero dar a peça, as combinações certas das cores, será plana ou de relevo, lisa ou estampada, que cuidados devo ter na operação do tear, que cuidados na hora de manufaturar acabamentos, o que pode dar certo, o que pode dar errado? Por isso conhecimento e prática são tão importantes e indispensáveis.

Comecei a fazer cursos de corte e costura e Corel DRAW para agregar valores, ampliar meu universo pessoal. Daí quando digo que não se limita ao ato em si de tecer, é porque acredito na interdependência das coisas. A arte da tecelagem é milenar, há nomes para tudo, saber disso, saber como é que funciona, é isso que gera mais qualidade dos nossos movimentos e ações como profissional.

O tear entrou na minha vida pra ficar e sinto cada vez mais um “frisson” com todo processo de criação e descobertas.

Que tal unir moda, arte e sustentabilidade? Pensei um dia…

Mas me considero um bom calouro no mundo têxtil.

 

Alexandre, para um calouro você está se saindo um perfeito mestre. 

Esse depoimento para mim é o espelho do motivo que levou esse jovem a ter tanto sucesso em tão pouco tempo. Que sirva de inspiração para todos vocês que desejam se destacar em suas técnicas. A grande lição sempre será: estudar mais e mais.

Bolsa tramada com fita K7 por Alexandre Heberte
Xale com texturas variadas feito por Alexandre Heberte
 

Artesanatos de natal, aprenda agora

Sucesso para o Alexandre, e todos vocês que tiverem interesse em adquirir tanto suas peças decorativas e de uso pessoal quanto seus trabalhos artísticos, o site de Alexandre é Peixes em Peixes, clique e confira lá outros dos seus trabalhos. 

O email para contatos é [email protected] 

 

Não copie, compartilhe.

Clique e leia nossa licença com as regras para reprodução.

Você vai gostar também de:

, , , , , ,

30 Respostas para: A arte de Alexandre Heberte criada no tear

  1. veronica aparecida avila 16 de maio de 2016 at 14:02 #

    Gostaria muito de saber se ainda contínuas com os blogs,ainda sou estreante nesta área mas estou indo achei maravilhoso tudo,lindo demais .

    • Cris Turek 17 de maio de 2016 at 12:59 #

      Veronica, nosso blog Vila do Artesão continua ativo sim. Fico ao seu dispor. Beijos.

  2. cristina 3 de outubro de 2011 at 13:16 #

    adorei tdo se vc tiver algo em fuxico pra natal manda viu? cris o nordeste e lindoooooooooooo mas natal e joao pessoa falaserio bjus

    • Cris Turek 3 de outubro de 2011 at 19:34 #

      Cristina pra ler nossos artigos de fuxicos use o campo de pesquisa no alto dessa página. Infelizmente não posso enviar links por email pois nos gera problemas de spam. Aproveite pois a ferramenta está aí para ajudar.

  3. Zuzu Ferreira 1 de outubro de 2011 at 19:19 #

    Adoro artesanato e os trabalhos em tear são maravilhosos…E duram para sempre. Tenho um Xale há 8 anos, e ainda está perfeito. Modo de Produção que deveria ser mais difundido….E vocês fazem isto muito bem. Obrigada por compartilhar.

    • Cris Turek 1 de outubro de 2011 at 19:30 #

      Zuzu, além das belas peças de uso pessoal e decorativo, tenho certeza de que o trabalho do Alexandre ficará famoso pela qualidade artística de suas obras de exposição. Pode anotar esse nome, pois tem futuro.

  4. ELAINE DA ROSA PESTANA DE AGUIAR 29 de setembro de 2011 at 22:49 #

    Trabalho lindo! Parabéns Alexandre!

    • Cris Turek 29 de setembro de 2011 at 22:51 #

      Obrigada por escrever Elaine.

  5. tania beatriz dos santos silveira 29 de setembro de 2011 at 22:39 #

    Muito lindos trabalhos criado no tear,parabéns.

    • Cris Turek 29 de setembro de 2011 at 22:46 #

      Tania realmente são maravilhosos. Visite o site do Alexandre pra conhecer outras peças.

  6. Maria Paula Brandão Apocalypse 29 de setembro de 2011 at 22:31 #

    Adoro tear, mas tem tempo que não pratico.
    Já fiz aula e adorava.
    Lindo trabalho desse artesão!

    • Cris Turek 29 de setembro de 2011 at 22:36 #

      Maria Paula, o Alexandre promete fazer muito sucesso como artista. Vamos acompanhar.

  7. eliete ferreira 29 de setembro de 2011 at 21:38 #

    Parabens,alexandre seus trabalhos sao fantasticos.beijos

    • Cris Turek 29 de setembro de 2011 at 22:28 #

      Agradeço em nome do Alexandre Eliete. Beijos.

  8. Ana Maria 28 de setembro de 2011 at 13:16 #

    Alexandre, voce e um senhor artesão.Suas coisas são de muito bom gosto.Coisas práticas para o usoe otimas para fazer presente ,principalmente no final de ano.A agenda está uma graça e as peças feitas no tear sao um charme so. Não pare nunca de criar, voce é um artista.

    • Cris Turek 29 de setembro de 2011 at 14:34 #

      Todo incentivo é sempre bem-vindo. Obrigada Ana Maria.

  9. MÁRCIA CASTRO 27 de setembro de 2011 at 21:17 #

    Alexandre , quero parabeniza-lo , por sua qualidades artisticas , DEUS lhe deu um dom maravilhoso , você tem sensibilidade pelas cores , sou tecelã há mais de 20 anos , e posso lhe disser , que é maravilhoso , o manejo de um tear , criar , e ver á peça pronta , nos dá uma alegria , que só quem maneja sabe como é . Tudo de bom , meu amigo .
    Um forte abraço carinhoso .
    MÁRCIA .

    • Cris Turek 27 de setembro de 2011 at 22:58 #

      Com certeza suas palavras tem um grande valor para o Alexandre, Márcia. Porque você entende o sentido dessa arte.

  10. Josele Lopes 27 de setembro de 2011 at 14:10 #

    Belo trabalho do artista Alexandre.

    • Cris Turek 27 de setembro de 2011 at 22:57 #

      Obrigada Josele, beijos.

  11. Paula 27 de setembro de 2011 at 12:02 #

    Aqui em Bauru, tinha uma espécie de cooperativa de artesões, e eu me candidatei a tecelã, sem nunca ter visto um tear de perto. Aprendi muita coisa, e nos dias que eu estava lá tecendo, o mundo parava. Amo teares. E o trabalho do Alexandre é divino.
    Parabéns a Vila do artesão
    Parabéns Cris.
    Beijos

    • Cris Turek 27 de setembro de 2011 at 22:56 #

      Penso que o tear é uma forma de meditar, desligar-se do mundo, né Paula? Obrigada por escrever.

  12. Márcia Barbosa 27 de setembro de 2011 at 10:38 #

    ” Arte e sustentabilidade”, isso é que é chique, moderno,peças únicas, lindas , captam a sensibilidade do artista, parabéns a todos vocês, em especial ao querido Alexandre.

    • Cris Turek 27 de setembro de 2011 at 23:06 #

      O Alexandre é digno de muitos elogios Márcia Barbosa. Beijos.

  13. edizia guerra 27 de setembro de 2011 at 7:02 #

    Esse rapaz é de uma sensibilidade a toda prova, como ele combina as cores.

    • Cris Turek 27 de setembro de 2011 at 9:36 #

      Falou bem Edizia, ele realmente tem um elevado senso estético.

  14. Alexandre Heberte 26 de setembro de 2011 at 22:36 #

    Cris, tão lindo, tão bom, muito gratificante suas palavras, que maravilhoso estar aqui na Vila do Artesão. Em resumo é isso mesmo: estudar, e depois praticar muito. A tecelagem me deixa muito entusiasmado, acordar cedo e saber prazer que será trabalhar e tecer.

    Mais uma vez, obrigado pelo carinho e pelo post. Tenha uma linda semana. Bons fluidos.

    Vila do artesão é um lugar muito especial. Me ajuda bastante. Adoro sempre as novidades que vejo por aqui.

    • Cris Turek 27 de setembro de 2011 at 9:35 #

      Caro Alexandre, o seu exemplo merece muita mais divulgação para que outros artesãos de outras técnicas percebam como vale à penas a incansável busca por aprendizado. Sucesso sempre meu amigo.

  15. Andreia Frezarim 26 de setembro de 2011 at 19:11 #

    Meu Deus!!!Estou sem palavras para descrever a beleza dessas peças lindas.Que xale é este?!Que riqueza no detalhe,que trama mais bela.Não entendo de tear,mais acho lindo esta arte.Um depoimento que vou guardar para o meu crescimento profissional.Parabéns,a este jovem moço talentoso.Cris te agradeço por esta materia linda.Bjins

    • Cris Turek 26 de setembro de 2011 at 19:31 #

      Andreia, visite o blog dele e conheça os outros trabalhos. Tem coisas lindas demais. beijos.

Deixe uma resposta