A biojoia vem com tudo

Colar de biojóia feito por Ramos Fogetti lá de Ribeirão Preto

Você pode até achar que colares de sementes são sem graça e afirmar que jamais usaria, mas tem que admitir que a moda é uma onda que te arrasta. Digo isso porque as biojoias, já tem muito tempo, deixaram de ser apenas colares feitos com fibras e sementes. Aliadas às técnicas de ourivesaria e com polimentos sofisticados, a construção de peças usando sementes brutas e todo tipo de material oriundo da natureza, já é uma atividade que conquistou mercados internacionais. E você no caminho.

Hoje encontramos peças de sementes polidas como a jarina, o marfim vegetal, que deixam muitos em dúvida sobre ser ou não uma semente.  Mas o mais importante é que cada vez mais a consciência de que a mata não produz lixo e sim resíduos de alto valor, está tomando conta dos nossos pensamentos, e abrindo as mentes para um universo de possibilidades.

Pelo país afora o Sebrae está dando apoio e treinamento para os artesãos que descobriram o potencial desse negócio, auxiliando na criação de novos designs, que valorizem cada semente e fibra, assim como o conceito de sustentabilidade em todo o processo, criando embalagens para essas peças usando material reciclado.

Colar Bell Roque biojóia

E não menos importantes são os projetos de apoio a pequenas comunidades como o povo Apurinã no Acre, que sobrevive também da produção de biojoias, o que evita sua migração e os incentiva a defender a sua parte da mata. Pra entender todo o contexto que a biojoia abrange, assista o vídeo abaixo, do programa Pequenas Empresas Grandes Negócios, que explica de uma maneira muito clara o que esse mercado significa. E depois ficarei esperando que vocês me escrevam falando dos artesãos de biojoias que vocês conhecem ou contando suas próprias experiências.

Convido você a compartilhar.

Foto: Click-Brazil e Babel das Artes

Não copie, compartilhe.

Clique e leia nossa licença com as regras para reprodução.

Você vai gostar também de:

, , , , ,

12 Responses to A biojoia vem com tudo

  1. carla 10 de fevereiro de 2014 at 10:55 #

    OLA!!! SERA QUE VOCE PODERIA ME FORNECER O ENDEREÇO DA VILA DO ARTESÃO?

    • Marcelo 10 de fevereiro de 2014 at 19:18 #

      Carla a Vila do Artesão é apenas um site. Estamos sediados na Paraíba mas não temos loja nem espaço de exposições. Podemos ajudar em algo?

  2. Claudio 29 de fevereiro de 2012 at 17:15 #

    Estou aqui em São Paulo capital, e gostaria de saber como andam as VENDAS nesse setor. Faço parte de uma loja coletiva, e há uns 6 meses comecei a fazer e vender bijouterias feitas com sementes, côco, madeiras, madrepérolas, mas sem muito retorno… muita gente olha e acha interessante, mas na hora de comprar…

    • Cris Turek 2 de março de 2012 at 23:31 #

      Claudio, nosso post é ilustrativo, não trabalho com esse produto e nao tenho as informações que pediu pra te oferecer. Tente entrar em contato com artesãos da técnica. Boa sorte.

  3. Rosy Tavares 24 de março de 2011 at 19:58 #

    Já faz um bom tempo que ando na captura de sementes para fazer minhas bijus.Eu acho um charme.Combina com a mulher brasileira.
    Que venham as biojóias…parabéns.

    Biojóias são a cara do Brasil e de nossa diversidade. Beijos.

  4. n deye gnima diop 14 de janeiro de 2011 at 9:07 #

    felicitations,e tencouragement je suis artisan et je fais du n inporte quoi mais j aime baucoup les bijoux bio .et j aimerais avoir votre cataloque et si possible etre votre vendeuse en europe.je suis senegalaise et je vis actuellement au portugal merci

    S’il vous plaît, écrivez à l’artiste Adriaen Adratt sur son site: “http://www.yasaibiojoias.com/loja/index.php”
    Merci.

  5. Renata 4 de novembro de 2009 at 8:47 #

    Bom dia,
    A riqueza da natureza brasileira nos proporciona uma variedade de produtos que usados como acessórios ficam muito originais. Sementes,pedras, Madrepérola, Cascalhos, Conchas.Toda matéria prima é deorigem vegetal, onde artesões e designers da
    “Click-Brazil” elaboram peças a partir de sua própria criatividade, dom e talento.
    O colar a cima é designer da Click-Brazil, para conhecer a coleção completa acesse o site.
    Estamos a disposição para melhor atende-la

  6. Beth Cerquinho 28 de agosto de 2009 at 21:04 #

    amei o colar…parabéns pela postagem.

  7. Káthia Marchand 30 de junho de 2009 at 22:31 #

    Oie Cris,
    Eu também acredito na força da natureza e acredito que assim, além da moda as pessoas estão se auto sustentando com a arte, que ao invés de disperdiçada, está sendo valorizada e dando oportunidades aos anônimos que estão se revelando com suas artes. Seja sementes, cascas de frutas, material reutilizado … o que importa é ver com os olhos da arte. Tudo vira arte nas mãos de quem sonha!!!!

    Beijinhos.

    • Cris 30 de junho de 2009 at 22:33 #

      káthia, olá.
      Tudo vira arte nas mãos de quem sonha!!!! Essa sua frase é muito sábia. Concordo plenamente.
      Vou visitar o seu blog e deixar um recadinho pra você também.
      Muito obrigada por contribuir.
      Um grande abraço,
      Cris Turek

  8. rodrigo 25 de junho de 2009 at 13:29 #

    muito bom o trabalho!

    Adorei, Tenho um colar parecido.
    Parabens pelo trabalho

    abraço!

Deixe uma resposta