Barreado, prato típico do Paraná

Quem vai até Morretes, tem na chegada a sua espera muita simpatia paranaense acompanhada do nosso prato mais típico e tradicional: o Barreado. Como o passeio pela Estrada da Graciosa deve ser feito com calma, para apreciar a paisagem e por conta das suas inúmeras curvas, quando chegamos em Morretes, o apetite está no ponto para a nossa iguaria mais simples e mais saborosa.

A receita que estou indicando aqui é do meu conterrâneo Orlando Baumel, do blog Oba Gastronomia, que eu adoro porque sempre me traz boas lembranças da terrinha além de dicas deliciosas. Segundo Orlando, essa receita é muito antiga e como fica muitas horas cozinhando, permitia que as mulheres dessem um tempo com o fogão e fossem participar do Fandango, um dança típica do Paraná na época do carnaval.

O segredo do Barreado é usar carne de peito de gado, que dá muito sabor ao cozido, e deixar cozinhando por horas a fio até que a carne fique tão macia que se desmanche completamente. O nome Barreado vem da mistura que se fazia para vedar as panelas de barro e não deixar escapar o calor durante o cozimento. Depois é tudo tradição: colocar a farinha de mandioca, fazer o pirão e comer com rodelas de banana. Mas a receita vocês conferem com detalhes acessando o Oba Gatronomia.

 

Como vocês viram nas fotos acima, quando estivemos em Morretes, o Marcelo foi pego como cobaia no Teste do Barreado, conduzido pelo simpático Sr. Banana, maitre do restaurante Casarão, onde almoçamos. A cobaia, no caso o Marcelo, foi testado na integridade da sua cabeça quando o garçom prepara o Barreado e prova que se o pirão estiver bem feito, ele não desgruda do fundo do prato e não despenca sobre a cabeça da cobaia. UUUUUU !!!!

A brincadeira que diverte turistas que vem conhecer esse prato tradicional, serve também para explicar a maneira correta de se montar o Barreado para degustar. Veja como:

  • coloque a farinha de mandioca num prato fundo
  • despeje sobre ela uma concha caprichada do barreado com muito caldo
  • misture com calma até formar o pirão ao seu gosto
  • junte mais uma concha com a carne
  • Corte rodelas de banana e saboreie com a deliciosa pimenta malagueta.

E para terminar, a vista encantadora da cidade de Morretes e do Rio Nhundiaquara, das sacadas do restaurante.

Gostaram? Confiram a receita do meu colega Orlando.

Fotos: Oba Gastronomia e Cris Turek

Não copie, compartilhe.

Clique e leia nossa licença com as regras para reprodução.

Você vai gostar também de:

, , , ,

24 Respostas para: Barreado, prato típico do Paraná

  1. SONIA MARINHO 9 de novembro de 2011 at 15:15 #

    ESTIVE EM MORRETES Á UNS CINCO ANOS MAIS OU MENOS,AMEI,POIS PASSEI MUITO E COMI O BARREADO ,TENHO UMA FOTO COM O SIMPÁTICO GARSON COM O PRATO VIRADO SOBRE MINHA CABEÇA.
    E DELICIOSO,TANTO O BARREADO ,MORRETES E O ATENDIMENTO.
    ESPERO VOLTA LÁ ALGUM DIA.

    • Cris Turek 10 de novembro de 2011 at 14:37 #

      Espero que retorne mesmo Sonia, é um belo passeio.

  2. Beth 5 de junho de 2011 at 14:15 #

    Eu amei Morretes, sou de Goiás e estive lá em janeiro desse ano, é uma cidade histórica muito linda, comi o barreado no Medaluzzi, gostei muito e quero voltar lá no ano que vem.

    • Cris Turek 5 de junho de 2011 at 15:00 #

      Beth, é com certeza um passeio único. Também quero voltar lá em breve.

  3. samara santos alves 7 de novembro de 2010 at 18:44 #

    eu gostei das imagens do restaurante de morretes apesar de morar em Curitiba nunca estive em morrete mas é muito bom conhecer as comidas típicas e lugares agradáveis.

    É inacreditável que você ainda não tenha feito esse passeio delicioso. Tá esperando o que? Corre lá nesse verão que você vai amar!!!

  4. Josane Resende Saggin 11 de junho de 2010 at 20:19 #

    Estive em Morretes não pela estrada da graciosa, mas pela estrada de ferro Curitiba-Paranaguá. Adorei o passeio vale muito apena. Mas a historia da contrução da ferrovia vale muito mais, nos deixa orgulhosos e aos negros muito mais. Conheci a estrada da graciosa linda também, pena que não deu para ir ate ilha do mel. Morretes é uma delicia de cidade, muito linda, tranquila e almocei exatamente no casarão e claro comi um barreado.

    • Cris Turek 12 de junho de 2010 at 15:26 #

      É verdade Josane, o passeio pelo trem é uma emoção única nesse país. Não há paisagens iguais. Beijos.

  5. Orlando Baumel 10 de junho de 2010 at 23:01 #

    Muito obrigado pela referência ao OBA.
    O mais engraçado sobre o Barreado em Morretes, é que ele começou a ser produzido comercialmente na cidade só em 1984, quando começaram a pensar em turismo e houve um incentivo para pessoas que quisessem abrir restaurantes especializados no prato.
    De lá para cá, a cidade se transformou no maior centro de estabelecimentos especializados em Barreado, batendo suas rivais Antonina e Paranaguá.
    Um grande Beijo, Cris!

    • Cris Turek 11 de junho de 2010 at 11:33 #

      Orlando, você é mestre em me encher de boas lembranças quando posta artigos sobre restaurantes e lugares bacanas de Curitiba. Li seus posts sobre Morretes, e pra quem conhece, é de encher de saudades mesmo. O Casarão é o restaurante que eu frequento lá e me lembro bem desse detalhe que você acaba de mencionar. O Barreado era encontrado num lugar ou outro, mas se tornou o combustível que transformou a cidade nesse maravilhoso ponto turístico. É engraçado, mas turismo é assim mesmo. Obrigada Orlando por compartilhar sua receita com minhas leitoras. Beijo.

  6. Mariana Guelfi 10 de junho de 2010 at 20:43 #

    Fantástica a cara de desespero do Marcelo, no teste do barreado….. hahahaha
    E que vontade que me deu de comer um barreadinho…. hummmm
    Beijo e saudades

    • Cris Turek 11 de junho de 2010 at 11:29 #

      Oie amiga. As fotos ficaram mesmo tão engraçadas que eu tive que postar.
      Bom também pra gente matar um pouco a saudades. Beijo grande Mari.

  7. Kelina Saldanha 10 de junho de 2010 at 18:33 #

    Eita, q gostoso! Eu quero!!!! Mas, tô looooooooonge.

    • Cris Turek 11 de junho de 2010 at 11:27 #

      Kelina, sem problemas, passe no Oba Gastronomia e veja a receita que é fácil de fazer. Você vai amar o sabor. O link tá no artigo. Beijos.

  8. Helena Garcia 10 de junho de 2010 at 16:41 #

    Oi, Cris querida!!

    To adorando ver esses posts sobre a Estrada da Graciosa, Morretes, lugares que visito e que amo!
    Aliás, vir aqui é sempre um momento bom do meu dia,viu?

    Amiga, quando puder dá uma passadinha lá no blog…hoje postei sobre algumas amigas e vc tá lá!!!
    Beijocas e um ótimo dia!!
    Helena Garcia
    diaadiacorridinho.blogspot.com

    • Cris Turek 11 de junho de 2010 at 11:25 #

      Puxa Helena, o bacana é você reforçar as minhas palavras, e não ficar parecendo babação de paranaense, rsrsrsrs A Graciosa é maravilhosa, e eu sempre amei fazer esse passeio.
      Tô indo lá no Dia a Dia dar um oi pra você. Beijos.

  9. Barueri Na Web 10 de junho de 2010 at 14:47 #

    Gostaria de parabenizar pelo Blog, está muito bom, irei colocar no links uteis do Portal Barueri Na Web, se possível de essa força também e acesse nosso Blog-http://www.baruerinaweb.com.br. Agradeço desde já , um grande abraço e sucesso sempre!

    • Cris Turek 11 de junho de 2010 at 11:21 #

      Barueri na Web, passo lá no seu portal sim. Obrigada por nos visitar e pelos elogios. Sucesso para vocês também.

  10. Livia 10 de junho de 2010 at 11:03 #

    Hummmmm, Cris!!! Estava com tanta saudade do Barreado que eu comia quando morava em Curitiba e descia a Estrada da Graciosa…. agora estou um pouco longe, mas posso fazer o Barreado aqui em casa mesmo! Obrigada pela receita!
    Beijos

    • Cris Turek 11 de junho de 2010 at 11:18 #

      Livia, é bom relembrar e sentir essa saudade boa, né? Ainda bem que podemos fazer o Barreado em qualquer lugar, afinal é tão simples, né? Beijos.

  11. Joana 10 de junho de 2010 at 9:52 #

    Olá conterrânea. Teu post anterior me deixou com vontade de dar um passeio na estrada da Graciosa, atravessar o Rio Nhundiaquara gelado, se esforçando inutilmente para não cair na correnteza, chegar ao outro lado molhada e fazer uma trilha ou somente olhar a paisagem, ouvir os sons das matas e respirar fundo o ar dos mais puros que existe, sentir o cheiro de mata molhada e constatar quanto a vida é maravilhosa quando se tem lugares como esse para usufruir. É sem dúvida um dos mais belos e agradáveis lugares deste país, sem axagerar acho que do mundo. Mas confesso que acho o tal de barreado a coisa mais sem gosto que eu já comi. Você que mora no nordeste como eu sabe a diferença culinária entre nosso querido Paraná onde nascemos e esta região onde vivemos. Como diz minha filha que mora em Curitiba quando se refere a culinária paranaense: Nem!!
    Parabéns pelas belas fotos. Bjs
    Joana

    • Cris Turek 11 de junho de 2010 at 11:17 #

      Joana, seu depoimento só reforça o que eu tentei passar no artigo, muito obrigada. Concordo em tudo que escreveu, mas que eu gosto do Barreado , ah…..eu gosto sim. Com muita pimenta, rsrsrsrsrs
      Bom te ver aqui na Vila. Beijos.

  12. Talma 10 de junho de 2010 at 8:38 #

    Ai, que cidade lindaaaaa….adorei a vista que se tem do restaurante.
    E o tal barreado, hummmm…”tudibão”! ( e que coragem o Marcelo teve!)
    Passei prá te agradecer o carinho, lá no bloguito, com meus banhos de bacia…rssss.
    Beijocas!!!

    • Cris Turek 11 de junho de 2010 at 11:15 #

      Talma, aquela serra é mesmo a sua cara.E vê se não some, e deixa suas seguidoras sem rumo, viu? Beijos.

Deixe uma resposta