Cerâmica terracota, obra-prima da arte popular paraibana

Acho que essa é uma das grandes ausências aqui no blog, porque até hoje pouco falei do trabalho de cerâmica que vem lá de Serra Branca, interior aqui da Paraíba. Entre as peças da arte popular do estado que considero das mais belas, estão as bonecas em cerâmica terracota de Maria José Rodrigues.

Quer saber o que é terracota? Confira esse artigo.

 

Maria José de Serra Branca com Cris Turek no Salão de Artesanato
Maria José apresenta seu novo modelo de noivinha, cheio de flores coloridas
Maria José tem essas feições tímidas de quem fala baixinho e pouco, mas que com outras artesãs de Serra Branca da associação ARCA, mostrou energia e criou um estilo de trabalho tão delicado que nem lembramos que são apenas barro.

 

Bonecas Simplesmente Mulher expostas na Casa do Artista Paraibano
Evolução das bonecas de Serra Branca da  ARCA
Na Casa do Artista Paraibano, uma grande área é reservada ao trabalho encantador dessas mulheres, que não fazem apenas bonecas, mas utilitários e outras peças decorativas também. O respeito é merecido, a Arca já foi premiada duas vezes no Salão Nacional de Cerâmica, com peças cheias de inspiração. A primeira vez em 2004 com “Simplesmente Mulher” e depois em 2006 com “Sabor de Mulher”.

Peça Simplesmente Mulher, vencedora do Salão de Cerâmica em 2004
Sabor de Mulher, cerâmica terracota vencedora do Salão de Cerâmica em 2006
Encontrei Maria José novamente no Salão de Artesanato de João Pessoa e ela me mostrou suas novidades, o presépio completo e também as peças decorativas com bandeja e bolas vazadas, detalhadamente decoradas. Para dar uma idéia de valores, essa bandeja com tres bolas vazadas era vendida a R$75,00. Gente, isso tudo é feito à mão, vocês não podem esquecer.

 

Cris Turek e  a bandeja com bolas vazadas de Maria José

Detalhe da bola com flores em cerâmica terracota

Vista do presépio em cerâmica terracota de Maria José

Detalhe da manjedoura em cerâmica terracotaDetalhe dos bichos do presépio em cerâmica
A expectativa pelo salão era enorme e Maria José trouxe para expor todos os seus modelos de bonecas, as noivinhas, as beatas e as sirigaitas, como ela chama. Ela tem um enorme carinho por elas, que esse ano vieram com mais detalhes de florzinhas coloridas.

Terminado o Salão, Maria José retorna ao seu Cariri trabalhar o barro com toda essa delicadeza que só ela consegue dar à suas bonecas. Mas fica ansiosa esperando pelo seu contato.

Você gostou desse trabalho? É só entrar em contato diretamente com a Maria José no (83) 9999-2715 / 9152-7692

Fotos: Marcelo Pereto

Não copie, compartilhe.

Clique e leia nossa licença com as regras para reprodução.

Você vai gostar também de:

, , , , , , , ,

16 Responses to Cerâmica terracota, obra-prima da arte popular paraibana

  1. Lívia 15 de setembro de 2016 at 20:49 #

    São obras divinas! O artesanato é precioso.Infelizmente, não lhe é dado o valor que merece.
    Parabéns a todos os artesãos!

    • Cris Turek 16 de setembro de 2016 at 12:11 #

      Vamos nós valorizar o que sabemos ser feito com tanto amor Lívia. Devagar mudamos o conceito 🙂

  2. marcio 8 de dezembro de 2010 at 20:24 #

    ola eu queria encomendar algo mais eu não achei o1 telefone para contato, sera q vcs poderião me mandar 1 numero para contato!!!!

    Marcio, anote o telefone da Maria José: (83) 9999-2715. Já estou corrigindo a falha. Abraços.

  3. Douglas 18 de outubro de 2010 at 19:33 #

    achei muito legal alies isso é uma arte

    É mesmo Douglas, e bem mais difícil do que parece. Obrigada por escrever.

  4. Mayara Moraes 16 de agosto de 2010 at 20:46 #

    Adorei as fotos,o post ficou ótimo!!!
    Isso tudo vai me ajudar no trabalho da escola que é na verdade sobre o folclore brasileiro,e o meu tema foi o “Artesanato da Paraíba”;
    Adorei!!!

    Mas então dê uma pesquisada no blog porque tem muitos outros artesãos publicados. Bom trabalho.

  5. Dr. Lima 12 de junho de 2010 at 19:03 #

    Cris Turek,
    Obrigado pelas suas palavras. Eu sou Engenheiro Agrônomo, natural de Augusto Severo/RN, mas resido em Praia do Preá, município de Cruz/CE, pertinho de Jericoacoara. Faz 29 anos. O Ceará é um estado de um artesanato muito rico, principalmente, feitos com linha. O Baro é uma matéria prima que dá ao artesão o direito de modelar e criar suas pessas conforme sua imaginação. Eu admiro este trabalko por fazer parte da cultura de minha terra, quando se fazia pots, pratos, xícaras, bulhe, travessas e tudo o que era de objetos de uso doméstico. Que saudade daquele tempo. Este trabalho das mulheres da Paraíba é muito importante. Não conhecia. Fiquei encantado. Parabénes.
    Antonio dos Santos deOliveira Lima (Dr. Lima)
    radioseisdeabril.blogspot.com
    afolhadigital.com

    • Cris Turek 13 de junho de 2010 at 23:21 #

      Dr Lima, eu gostaria muito de conhecer esse trabalho pessoalmente,e farei assim que possível.
      Obrigada por contar essa história pra nós. Um abraço.

  6. Dr. Lima 11 de junho de 2010 at 22:10 #

    Tenho um carinho muito grande pelas artesãs que fezem do barro verdadeiras obras de arte. Este trabalho das mulheres da Paraíba – Mulher Macho sim Senhor – tem encantos mil. Faz-me lembrar das mulheres da minha terra, Augusto Severo/RN, que, com suas habilidades faziam potes, quartinhas, e utensílios domésticos com o barro. Que esta arte não morra. Quem já bebeu água de dormida esfriada em um pote de barro, nunca quer saber de outra água, pois não existe nada igual. Maria José, você é uma mulher brilhante. Cris é uma simpatia de mulher.
    Um beijo a todas.
    Dr. Lima
    Cruz/CE

    • Cris Turek 12 de junho de 2010 at 15:23 #

      Muito obrigada por participar e deixar seu comentário Dr Lima.
      é muito importante para essas artesãs sentirem esse reconhecimento por um trabalho de tanto esforço e eu agradeço por todas elas.
      Abraços.

  7. anna clara 5 de abril de 2010 at 21:42 #

    lindoooooooooooooooooo=)

  8. anna clara 5 de abril de 2010 at 21:41 #

    achei lindo e queria saber fazer tb=)

    • Cris Turek 5 de abril de 2010 at 22:53 #

      Anna Clara, bem que eu gostaria de ensinar essa técnica aqui no blog, mas é preciso muito mais que apenas boas fotos.
      Acompanhe nossas indicações que sempre avisamos de cursos acessíveis. Quem sabe você ainda faz um desses. Beijos.

  9. [email protected] 13 de fevereiro de 2010 at 10:11 #

    oi Cris! esta associação está de parabéns, gente simples que fazem seus artesanatos com argila e vira esta obra de arte! ah se um dia eu tiver a oportunidade de ir aí na tua terrinha ou até morar(ai ai) a minha casa além de mineira(que já virou, não é mais gaúcha) vai virar parabaina tb!
    eles já estiveram no expominas aqui em BH? parece que já vi estas artes!
    parabéns aos artistas locais e a vc que os descobriu!
    bjs

    • Cris Turek 13 de fevereiro de 2010 at 19:15 #

      Oi Lucia, com certeza você deve ter visto, pois os trabalhos da Arca acompanham o Programa de Artesanato Paraibano que participa de todas as grandes feiras do Brasil. Da próxima vez aproveite a oportunidade, tem muitas coisas lindas feitas por elas. Beijos.

  10. Sandra Vasconcelos 12 de fevereiro de 2010 at 12:32 #

    Cris, adoramos o post!
    Queremos ressaltar a generosidade da artista popular Maria José. Com produção familiar e trabalhando em grupo, ela incentivou Lucineide Guilhermino e Vera Lúcia Gonzaga. Em 2008 as duas artesãs ganharam prêmios no mesmo Salão de Cerâmica. Vera ganhou o prêmio na categoria Popular Utilitária com o cofrinho “Sapo” e o prêmio Popular Folclore foi para a peça da Lucineide denominada “Rainha das Águas” (ela ainda ganhou, nesta mesma edição uma menção honrosa com “Louceira do Cariri”). Estas lindas peças estavam expostas no Salão de Artesanato de 2009.
    Na Babel das Artes, além das peças de Lucineide Guilhermino, temos peças de outras mulheres do Grupo liderado por Maria José.
    Fotos das peças citadas no link: babeldasartes.wordpress.com/2008/10/31/paraiba-premio-concurso-ceramica-arte-popular/

    abs, Francisco e Sandra
    BABEL DAS ARTES

    • Cris Turek 13 de fevereiro de 2010 at 19:03 #

      Valeu Sandra pelo complemento, o trabalho de Maria José merece todo respeito, especialmente esse trabalho social de dar futuro à outras artesãs.
      Um abração.

Deixe uma resposta