Como anda a sua criatividade?

Exercitando a criatividade

Olha só, estou aqui de novo com assunto sério. Aliás esse é bem sério: a criatividade. E a grande pergunta é: por onde anda a sua? Ela tá legalzinha?

Nesse janeiro, com o pique da galera em marcha reduzida, eu aproveitei para aprender um pouco mais. De tudo. Por isso a Vila anda meio paradinha.

Assisti algumas das palestras do Conartes (sabe né? o congresso online para artesãos), não todas, infelizmente. Fiz aulas com materiais que eu conheço mas não desenvolvo, e também estou fazendo aulas de assuntos mais técnicos, que uso bastante para blogar.

Nisso que parei pra pensar na minha turma querida: por aí, como anda o aprimoramento e a capacitação?  😀 

Início de ano é uma época boa pra estes assuntos. O ritmo das encomendas diminui um pouco, as pessoas se desligam enquanto saem de férias e aí sobra aquele tempo importante pra investirmos em nós mesmos.

A criatividade por exemplo, precisa ser trabalhada ou morre. Pra mim ela é como um delicioso e cremoso sorvete. Ou a gente saboreia cada lambida ou ele se esvai, melequento, entre os dedos.

Nestes encontros em que pude participar, observei muitas pessoas preocupadas apenas em pegar todas as dicas prontas e mastigadas pra dali sair fazendo tudo exatamente igual. O mesmo formato, a mesma cor, o mesmo tamanho. Esse pra mim é o sintoma do sorvete derretido. Ele ainda tem sabor, mas não dá mais para sair lambendo.

Analisando também o nosso espaço da internet, ele é um lugar estranho, né não? Possibilita um campo gigantesco de pesquisas e ao mesmo tempo pode levar ao limbo da criatividade estagnada. É muito fácil buscar ideias prontas e sair repetindo. E atenção; não há nada de errado em buscar inspiração na internet ou em livros e revistas. O detalhe é que um bom artesão tira do seu baú de ideias, aquele pulo do gato que vai transformar o projeto visto em algo inovador e com identidade. Identidade e estilo pesam na hora da venda. 

Se o baú anda meio vazio talvez seja porque não estamos exercitando para enche-lo, só copiando. E como exercitar? Simples: pensando fora da caixa.

Se para nosso trabalho é importante ter foco e prioridades, na hora de exercitar a criatividade temos que voltar a ser crianças e nos lambuzar com aquele sorvete. Olhar os objetos mais estranhos e imaginar artesanato neles, encontrar novas respostas para velhas perguntas, soltar a imaginação sem medo de acertar ou errar, apenas criar.

Olhar o mundo ao redor e “ver” as coisas e a beleza que há nelas. Ousar, mergulhar de cabeça, perder o medo, testar e se desafiar. Experimente:

  • Você pode pegar um papel e rabiscar um desenho, mesmo se não souber desenhar.
  • Ou então comprar uma tela limpa e de repente pintar uma figura sendo Picasso por um dia.
  • Pode também usar seu celular e capturar imagens dentro da sua casa, depois na sua rua, depois pela cidade. Treinar o olhar.
  • Pode brincar com algo que nunca usou, trocar de técnica só pra ver no que dá.

Tudo isso fará você abrir a mente e guardar por lá novos registros de cores, composições, formas. Muitas novas ideias que você aproveitará em futuros projetos. Quando precisar, poderá acessar esses registros mentais e usa-los sem medo de estar copiando.

Fuja de copiar, saia da sombra de artesãos criativos, seja alguém. Assim terá sucesso, visibilidade e reconhecimento, deixando para trás aquele rótulo de artesanato do “isso eu já vi por aí”.

Lembre que peças iguais caem na vala do preço e peças com identidade e inovação ganham em qualidade.

Mas me diga, o seu sorvete tá gostoso?

Foto: Icing Designs

Não copie, compartilhe.

Clique e leia nossa licença com as regras para reprodução.

Você vai gostar também de:

,

51 Responses to Como anda a sua criatividade?

  1. Regina 5 de maio de 2015 at 17:32 #

    Obrigada! Mãos a obra!

  2. Regina 30 de abril de 2015 at 20:40 #

    Cris Turek, minha vizinha jogou fora um barrilzinho de chopp ( quebrou a válvula), desses de alumínio ou o material da latinha… Eu gostaria de uma idéia de como reaproveitar? Pensei em fazer um abajour…. usar como vaso… Que dica vc poderia me dar? Bjs

    • Cris Turek 5 de maio de 2015 at 12:54 #

      Regina como abajur não acho interessante, mas você pode sim fazer um vaso e eu até deixaria ele como está, apenas abrindo de modo a não ficar cortante. Acho interessante usar esse tipo de objeto como ele é de verdade, com sua estampa original.

  3. Giselia 25 de abril de 2015 at 22:59 #

    Concordo que não devemos só copiar e deixar de lado a nossa imaginação, pq isso todo mundo tem. Eu particularmente adoro ver o trabalho de outras pessoas, mas nunca faço igual sempre mudo algum detalhe para deixar mais personalizado com a minha cara.

    • Cris Turek 5 de maio de 2015 at 13:21 #

      Giselia se nosso trabalho não levar nossa personalidade, não fará sentido produzir, não é? E tudo será igual sempre, o que é muito sem graça, 😉 Beijos.

  4. Francisca Vandira 18 de abril de 2015 at 7:26 #

    Amei teu blog,você é muito competente nesta área, gostaria de ver arte em panos de pratos adoro trabalhar com eles , meu carro chefe…obrigado amiga…

  5. Marta Gómez Sanabria 16 de março de 2015 at 17:46 #

    me gustan muchísimo sus trabajos gracias por compartirlos.l

    • Cris Turek 24 de março de 2015 at 14:08 #

      Obrigada pela presença Marta. Beijos.

  6. Carla 13 de março de 2015 at 21:30 #

    Oi Cris, hoje conheci seu blog, dei uma olhada geral nele, li alguns de seus artigos e claro que fiquei encantada com os seus trabalhos, as suas dicas, o seu modo de se expressar…enfim, você é tudo de bom! Nota-se que faz tudo com amor, carinho e vontade!

    Estou começando a fazer artesanato agora, minhas dificuldades iniciais são: que tipo de artesanato devo investir, se estou no caminho certo, se estou fazendo algo que me dará retorno…claro que procuro fazer o que gosto e fazer bem feito, mas penso no retorno financeiro que quero ter. Sei que persistência é importante, isto eu tenho, só me falta a direção mesmo.

    Um grande abraço, vou sempre acompanhar o seu blog!!

    • Cris Turek 16 de março de 2015 at 12:15 #

      Carla você deve investir na técnica que você domina mais, esse é o segredo. É no que fazemos melhor que conseguimos nos destacar e não no que possa estar na moda. Esqueça o que outras artesãs fazem. Todas escolheram algo de que entendem e conhecem bem, e por isso acertaram o seu rumo. O artesanato deve ser encarado como qualquer outro negócio, e deve ser analisado como tal. Conheça bem seus custos, entenda quanto vale a sua hora de trabalho e conheça o mercado do seu nicho. É estando atenta à essas condições que você será um empreendedora do artesanato e terá retorno. Não existe nenhum negócio, nem franquias, nem lojas de marca, que são sucesso se não forem encaradas com seriedade. Igual é o artesanato. Sugestão: procure o Sebrae e aprenda como administrar um pequeno negócio. É o caminho. E sucesso pra você querida, beijos 😀

    • Carla 17 de março de 2015 at 9:01 #

      Oi Cris, bom, como faz uns 4 meses que comecei a fazer artesanato, eu ainda estou naquele processo de descobrir o que eu domino mais. Já tentei fazer artesanatos com cartonagem, E.V.A, etc, mas não me identificava muito com o que fazia, então continuei buscando outras técnicas e materiais que eu me identificasse. Gosto de trabalhar com materiais que duram mais, e produzir coisas que além de bonitas, também tenham fins utilitários. Gosto de trabalhar com tecidos, por exemplo. Enfim, as coisas que tentei fazer me mostraram o que eu realmente gosto e quero fazer. Eu encaro o artesanato com seriedade e como um negócio mesmo, sei que preciso ter disciplina, comprometimento, inovar e procurar progredir sempre. Obrigada pelas dicas, realmente é melhor eu procurar um local (como o Sebrae) para eu poder me orientar melhor, pois coisas aparentemente tão simples como estipular um preço justo para os nossos trabalhos é um tanto complicado, ainda mais para quem está no começo da jornada. E muito agradecida pela atenção, bacana você ter a paciência de responder à cada comentário do blog. Beijos e continue fazendo muito sucesso!

    • Cris Turek 24 de março de 2015 at 14:07 #

      Carla quando se tem um desejo de empreender, é preciso tratar o projeto com seriedade. O Sebrae pode ajudar muito. Aqui no blog tenho posts com dicas de como calcular preços, dê uma espiada, use o campo de pesquisa e comece a entender o processo desde já. Beijocas.

  7. Barbara 2 de março de 2015 at 14:23 #

    Olá, muito bom seu texto!!! Parabéns e obrigada por toda ajuda e inspiração que dá aos artesãos!!! 😉 Acho importantíssimo aproveitarmos qualquer tempo que temos para assistir a conteúdos relevantes, eu particularmente nunca tinha ouvido falar do congresso online para artesãos (CONARTES), procurei na internet, porém não encontrei nada. Poderia me ajudar por favor?

    • Cris Turek 3 de março de 2015 at 19:52 #

      Barbara o Conartes já foi, já aconteceu. Digite no Google pra acessar o site deles e verifique por lá o próximo evento que estão organizando. Beijos.

  8. Fabiana Segatto 18 de fevereiro de 2015 at 11:56 #

    Miga tava precisando ouvir isto, é, lendo seu testo é como ouvir. Ando atribulada com meus filhos e deixei minha criatividade de lado. Vendo mais e fazendo de menos e me sentindo um nada em termos de criatividade. Obrigada pela reflexão.

    • Cris Turek 19 de fevereiro de 2015 at 13:22 #

      Fabiana estas fases são normais, a gente precisa de uma pausa pra se recuperar. Pode confiar que logo você retoma seu ritmo. Bjs.

  9. Bia 13 de fevereiro de 2015 at 14:22 #

    Oi pessoal
    Visitem meu site bialvares.simplesite.com

  10. Marcia 11 de fevereiro de 2015 at 22:31 #

    olá Cris…
    Em resposta ao Paulo Roberto, se ainda não descobriu. Se estiver usando tinta acrílica, experimente a mistura de Amarelo Pele e Marrom. Vá acrescentando o marrom aos poucos até obter o tom desejado.
    Espero ter ajudado.
    Abraço

    • Cris Turek 13 de fevereiro de 2015 at 17:02 #

      Valeu Marcia, super obrigada. 😀

  11. Margarita 5 de fevereiro de 2015 at 19:47 #

    Gostei de tudo, sou grata por tão boas ideias.

  12. Sueli de Souza Pinto 5 de fevereiro de 2015 at 17:25 #

    Olha Cris sou sua fã faz muito e a Vila do Artesão mostra muito do que há de lindo e criativo por este nosso Brasil. Muitas das coisas que “aprontei” com meus alunos, sou professora da rede pública do PR, saiu das ideias de vcs, adaptadas ao nosso momento e aos custos que a escola e os alunos podem arcar, fica um mundo mais bonito quando cada um dá o que tem e como todos somos diferentes, a gente sempre acaba fazendo de nosso modo. Obrigada por compartilhar. Amei o texto e me deu vontade de tomar sorvete! Bj

    • Cris Turek 5 de fevereiro de 2015 at 19:13 #

      Ebaaaa Sueli, coisa boa. Então vamos juntas, que pra este tempo de inspiração, sorvete sempre cai bem, 😀 Beijos.

  13. Elza Maria 5 de fevereiro de 2015 at 14:19 #

    Meu sorvete está mais que gostoso e com um sabor maravilhoso.

    Busco minha criatividade nas cores, adoro olhar as cores e imaginar uma combinação contrária do que estou vendo e sendo assim vou imaginando ,criando, buscando ,combinando “descombinando” e vou procurando … se dizem que a matéria prima não combina aí é que junto tudo e vejo no que dá, rsrsrs Pesquiso sim… mas faço tudo ao contrario do que me é apresentado isso me fascina.
    E não é que tem dado certo?

    Obrigada pela matéria, perfeita como sempre

    Abraços Cris

    • Cris Turek 5 de fevereiro de 2015 at 15:05 #

      Elza que legal. Esta sua atitude faz toda a diferença, pode acreditar. Beijos.

  14. María TeresA Valencia Chavarro 4 de fevereiro de 2015 at 11:54 #

    amigas me han gustado mucho sus proyectos muchas gracias

    • Cris Turek 5 de fevereiro de 2015 at 15:09 #

      Gracias a ustedes María Teresa. 😀

  15. Regiane 2 de fevereiro de 2015 at 20:34 #

    Olá Cris,
    Meu sorvete anda bem gostoso!!
    Quando comecei a fazer artesanato em 2011, não entendia como tanto gente pensava em tantas coisas bonitas, delicadas e eu não tinha ideia nenhuma, nem sequer sabia como começar. Fiquei desesperada e pensei: Não sou criativa!
    Custei para entender que ser criativo é um exercício que deve ser praticado. Exercito olhando coisas e vendo tudo o que pode ser transformado, feito de maneira diferente ou ainda com os materiais que tenho em mãos. Adoro visitar lojas de artesanato para ver as novidades e observar as possibilidades da transformação.
    Beijos,

    • Cris Turek 3 de fevereiro de 2015 at 18:55 #

      Regiane perfeito, é isso mesmo. Exercitar na maioria das vezes é algo muito simples, e você achou seu caminho. Sucesso e beijos.

  16. Loriete Paranhos 2 de fevereiro de 2015 at 14:59 #

    Super dicas você deu por aqui. Verdade mesmo que há épocas em que nossa criatividade fica em baixa e eu também vivo buscando aprimoramento, também assisti algumas palestras do Conartes, e sempre assisto vídeo aulas para aprender mais. Uma coisa que você mencionou aqui e que faço muito é de fotografar coisas que me encantam aos olhos e fico imaginando que posso empregar em uma técnica diferente.
    Muito bom, adorei os conselhos!!!!

    • Cris Turek 3 de fevereiro de 2015 at 18:57 #

      Olha aí Loriete, essa é uma prática que ajuda em muitos sentidos, não só na criatividade, mas também a entender melhor a composição artística. Obrigada por compartilhar. Bjs.

  17. ollogra 2 de fevereiro de 2015 at 12:16 #

    Que lindo !!!
    Embora arteira para uso próprio, estou carente de criatividade …
    Obrigada !!!
    Beijos no <3 !!!!

    • Cris Turek 3 de fevereiro de 2015 at 18:59 #

      Ollogra então que tal testar algumas das dicas que dei? Depois me conte, 😉 Beijos.

  18. Marília Gomes 2 de fevereiro de 2015 at 12:15 #

    Gostei demais deste artigo, e me vejo dentro dele, crio,transformo, invento, estou sempre atenta a tudo em minha volta, acredito ser este o caminho, minha visão sempre esta além do agora, e na realidade isto me dá coragem prá seguir em frente sem medo de errar.

    • Cris Turek 3 de fevereiro de 2015 at 18:59 #

      Ótima dica Marília, estar atenta o mundo ao nosso redor é também um excelente exercício de criatividade. Beijos.

  19. jandira-martins 2 de fevereiro de 2015 at 12:14 #

    Bom dia!Como sempre muito ,mas muito perspicaz, realmente as vezes nossa criatividade vai pro fundo do bau, hj ganhei um puxao de orelha, pq a minha ta um pouco desgastada.
    Muito obrigada pela chamada, me deu um novo animo pra procurar meus antigos dons.Abraços, bom fim de semana, segunda sigo vc novamente.
    Bjs

    • Cris Turek 3 de fevereiro de 2015 at 19:00 #

      Ebaaaaa Jandira é isso que me faz feliz, sentir o solo fértil que encontro aí desse lado da telinha. Vai lá brincar que a criatividade volta com tudo. Beijos.

  20. Maria Costa 2 de fevereiro de 2015 at 12:14 #

    Boa tarde e muito obrigada por me enviarem coisas tão bonitas. Dizem para não copiar, mas para mim basta ver que fico logo feliz.
    A minha criatividade anda mal, pois eu não sou artesã, sou sim uma curiosa que começou a fazer coisinhas para os netos e faço sempre diferente do que vejo.
    Muito obrigada por me darem a oportunidade de apreciar.
    Maria Costa

    • Cris Turek 3 de fevereiro de 2015 at 19:01 #

      Maria fique à vontade, aprecie as coisas bacanas e brinque com as ideias. É assim que tornará o artesanato ainda mais atraente para você. Beijos.

  21. maria da conceição Mota 2 de fevereiro de 2015 at 12:13 #

    Adorei! não sou artesã, sou educadora, mas sou apaixonada por artesanato, faço de tdo um pouco, pesquiso bastante, copio e, a partir daí vou dando o meu gosto pessoal, deixando a minha cara, faço nas horas vagas, me relaxa!

    • Cris Turek 3 de fevereiro de 2015 at 19:03 #

      Em nome do relax fica ainda mais fácil, né não Maria da Conceicão? Por aí também há um caminho, 😉 Bjs.

  22. Susana Oliveira 2 de fevereiro de 2015 at 12:13 #

    Obrigada, adorei a ideia vou mostrar para minha amiga que vai ganhar a primeira filha agora. O meu sorvete de verdade é ótimo. Um abraço.

    • Cris Turek 3 de fevereiro de 2015 at 19:03 #

      Coisa boa Susana. Beijo grande.

  23. Vanessa Biali 1 de fevereiro de 2015 at 6:55 #

    Que delícia de texto, Cris! Delicioso como um sorvete. 🙂
    Penso exatamente como você. Não tem nada de errado em pegar moldes e receitas prontas. Desde que seja apenas um pontapé inicial para que possamos experimentar uma técnica nova ou talvez para usarmos nos momentos de relaxamento em que queremos algo mais rápido, sem muito compromisso. Só não podemos fazer que nosso trabalho em tempo integral seja feito apenas de moldes e receitas prontas! Isso mata a criatividade e viramos um trabalhador maquinal, em escala industrial, sem envolvimento e transformação sobre nossa matéria-prima…
    Perfeita a sua frase: “Lembre que peças iguais caem na vala do preço e peças com identidade e inovação ganham em qualidade.”
    Eu, por exemplo, nas minhas horas de folga, adoro usar moldes prontos para fazer as minhas roupas. No momento, não tenho interesse em criar moldes de roupas, aprender modelagem e tal… Pois é o meu momento de lazer, de relaxar a mente. Mas, imagino que seria muito desmotivador trabalhar só com moldes prontos, sem poder criar nada.
    Ontem, estava vendo uma entrevista com um pediatra sobre a SPA (síndrome do pensamento acelerado). Ele falava que costumamos dizer que hoje em dia as crianças nascem prontas, muito inteligentes e espertas. Só que elas vem com um conhecimento e adaptação fantásticos em questões técnicas e tecnológicas, mas pobres em criatividade. Ele disse que as crianças hoje em dia tem mais dificuldade em criar um desenho, criar brincadeiras com outras crianças sem intermediação da tecnologia… Isso é bem preocupante! Como será a futura geração? Um mundo com tantos desafios e pouca criatividade? Que exemplos, nós adultos, estamos passando para as crianças de hoje?
    Escrevi demais…rsrs… Mas esse tema é apaixonante (e importante).
    Beijos,

    • Cris Turek 3 de fevereiro de 2015 at 19:10 #

      Não escreveu demais não Vanessa, foi bem pertinente, aliás 😀
      Você tem razão em relação à preocupação com as crianças. Brinquedos que brincam sozinhos ou criam uma realidade virtual que isola a garotada deveriam ser mais questionados pelos pais. O engraçado é que eles mesmo são reticentes em dar brinquedos normais aos filhos, como se fosse antiquado brincar de bola, peteca ou amarelinha. Depois nos tornamos áridos e não sabemos porquê. Bem colocado amiga, mas você, com sua criatividade maravilhosa, não poderia se posicionar de outro modo. Sou sua fã……incondicional. 😀 Beijos.

  24. paulo roberto magalhaes 31 de janeiro de 2015 at 12:28 #

    ilmo srs.
    minha criatividade esta muito bem,so que eu tenho uma duvida e gostaria muito que os ss me tirassem deste aperto,estou fazendo uma pintura de um cigano,o wladimir so que tenho duvidas quanto ao teor da pele,sabendo que não podera ser da cor clara,estou com dificuldades em fazer o tom de moreno,para dar na pele e por isto estou pedindo a vossa ajuda,para me dizer quais tintas devo usar para dar um tom de moreno claro a esta estatua de gesso,desde jas agradeço esta oportunidade e fico muito gato,muito obrigado,
    paulo roberto magalhaes [email protected]

    • Cris Turek 3 de fevereiro de 2015 at 19:14 #

      Paulo Roberto adoraria te dar um resposta correta, mas não domino pintura em gesso e qualquer coisa que eu dissesse seria especulação. Tente auxílio com artesãos da técnica ou com material didático relativo à esse suporte. Desculpa não poder ajudar mais.

  25. Antonio Carlos 31 de janeiro de 2015 at 6:08 #

    Sem criatividade corre-se o risco de ficar a fazer mais orçamentos do que artesanato!

    • Cris Turek 3 de fevereiro de 2015 at 19:16 #

      Bem colocado Antonio Carlos, e orçamentos não são vendas, 😀

  26. Fabiana DaRosa 30 de janeiro de 2015 at 22:42 #

    Oi Cris. Te achei a poucos dias na internet e estou gostando muito das informações. Como sou fabricante de bijuteria bio me interessei muito por um post antigo onde você mostrava aneis em marchetaria feitos pelo Seu Nezinho. Tentei entrar em contato com ele mas não foi possivel. Por favor, caso você tenha o novo contato do Seu Nezinho ou mesmo de outro artesão que faz aneis, brincos em marchetaria poderia me passar? Eu seria eternamente grata a você. Aguardo ansiosa pelo teu contato.
    Fabiana DaRosa.

    • Cris Turek 3 de fevereiro de 2015 at 19:17 #

      Fabiana só tenho aqueles contatos mesmo. Tente no site do Governo do Estado da Paraíba, no PAB, Programa do artesanato paraibano. Eles devem ter. Abração.

Deixe uma resposta