Designer, como e quando o artesão mudou de nome

Então amigos, percebi que quando escrevo sobre o design atual, peças assinadas e objetos que se tornaram referência em sua área, nem sempre consigo capturar a atenção de vocês, que estão tão interessados em aprender algumas técnicas artesanais e descobrir alguns segredinhos do “como fazer” que nem notam o quanto o design está envolvido nisso tudo. Foi aí que pensei em contar um pouco dessa história, para vocês perceberem o quanto o fazer artesanal está vinculado ao termo design. Vou mostrar aqui, em etapas, como surgiu a profissão do designer e vocês vão ver o porquê de peças “com design” serem objetos de desejo em todos os cantos do mundo. Vocês também vão conhecer designers importantes que dão nome e sobrenome à esses objetos. Podem acreditar que isso em muito auxiliará vocês em suas futuras criações.

Gobelin retrata Luix XVI visitando a Manufatura de GobelinsA coisa toda começou a tomar forma após o séc. XVI, pois até então o poder de um nobre se traduzia pela quantidade de ouro que exibia nos dedos e nas terras que possuía. A partir da segunda metade do séc. XVI, ter certos objetos bem específicos, feitos por mestres artesãos conceituados, também passou a ser sinônimo de status e poder. Um exemplo conhecido foram os famosos Gobelins, aquelas tapeçarias cheias de cenas com detalhes que já eram produzidas na França, naquele momento. Se você fosse importante de verdade, tinha um gobelin em sua aristocrática residência. Assim também aconteceu com algumas porcelanas e cristais que se tornaram valiosos. O resumo disso tudo é que foi necessário para alguns desses artesãos, pensar seus objetos, torná-los desejáveis por esses nobres. Isso abriu espaço para um profissão que assumiria elevada condição social, os artistas enquanto diretores de criação. É, eles não sabiam mas já eram designers. Outras áreas ampliaram sua importância nessa época, como das gráficas com novas diagramações e ilustrações em livros.

Certo então, isso tudo era claramente destinado à faixa “muito-muito-bem-de-vida”  que tinha dinheiro e podia ostentar tais Escrivaninha estilo Queen Anneluxos. Mas com o aumento da população nas cidades, houve necessidade de reformular esses objetos, adaptando-os para uma classe média que estava louca para consumir. A mesa de jantar, que era um móvel ainda recente, ganhou status dentro das casas, e outras peças, como a escrivaninha, alteraram hábitos e relações de trabalho. A Revolução Industrial trouxe muitas modificações para a sociedade inclusive dando maior acesso às tais peças assinadas que eram, para todos, objetos de desejo. Interesse comercial entre artesãos e consumidores, fome e vontade de comer, a profissão de designer começa a tomar forma.

Por essa época, idos de 1754, um dos mestres artesãos famosos se chamava Thomas Chippendale. Saiba na sequência quem foi e porque foi importante.

Fotos: Wikipedia e Sutkus

Você vai gostar também de:

, , , ,

2 Respostas para: Designer, como e quando o artesão mudou de nome

  1. Ana Hissa (Ponto&Prosa) 1 de março de 2012 at 7:55 #

    Amei seu jeitinho doce e sensível explicando como surgiu esta profissão tão importante para dar forma e alegria aos nossos dias, e muitas vezes tão dificil de ser entendida e até mesmo por muitos designer!
    Beijos

  2. Algecira Castro 16 de novembro de 2010 at 18:13 #

    Parabéns pela matéria. Gostaria de pedir permissão para publicá-la no meu Blog.http://alcastrosantos.blogspot.com Um grande abraço. Algecira Castro

    Querida, pode publicar sim, desde que coloque um link ativo para a pessoa caso ela queira visitar a fonte diretamente. Agradecemos. Beijos.

Deixe uma resposta