Garimpei EcoModa, a proposta das roupas sustentáveis

Ecomoda, vestido de reciclagem de chapas de raio X por Bruna Bielemann

 

A transformação de materiais recicláveis e sustentáveis em vestuário é uma proposta que nem é novidade. Há muito tempo já compramos nas lojas roupas feitas de garrafa pet ou de bambú. A questão do cuidado com o planeta através de escolhas sustentáveis, faz sucesso em todo tipo de marca ao redor do mundo, e nem estou falando de marcas populares. As griffes também já embarcaram nessa onda.

Apesar de estarem fora de uma linha de produção comercial, os trajes que vemos nesse post são justamente para nos fazer pensar nesse assunto. Todos saíram da coleta seletiva que inclui uma variedade interessante de matérias-primas e estão aí, lindos e marcantes só pra nos mostrar que o consumo consciente pode ser fashion.

Preocupada em aprofundar esse questionamento em relação à sustentabilidade, a estilista Bruna Bielemann criou uma coleção inteira de trajes conceituais saídos da reciclagem. Das chapas de Raio X, que compõem o vestido lá do alto, aos rolos de papel higiênico, ela explora toda essa diversidade de materiais em roupas que no mínimo chamam muito a atenção.

 

Vestido com reciclagem de fitas VHS por Bruna Bielemann

A coleção virou uma exposição chamada O Lixo que vira Luxo, e nos mostra o quanto é importante o trabalho do designer, que cria arte acima de tudo.

O resultado pode ser tão bom a ponto de facilmente deixar a categoria de roupa conceitual e ganhar as ruas.

Eu usaria o tubinho preto sem o menor problema.

Bruna é super engajada, e desenvolve uma linha de produtos bacanas em sua marca Fulana de Tall. Visite e conheça outros de seus vestidos de reciclagem e também sua coleção de ecobags.

Tá, mas EcoModa não está apenas na reciclagem de lixo. O uso de produtos naturais vindos de processos limpos de produção também tem tudo a ver com a questão da sustentabilidade.

Entre esses produtos está o Curauá, uma fibra de uma planta nativa da Amazônia, parente do abacaxi, que sem utilizar nenhum produto químico, ganha uma aparência super branquinha.

 

 A Gabriela Mendonça trabalha com essa fibra na fabricação de papéis artesanais e desenvolveu um projeto com roupas e acessórios para demonstrar a qualidade do papel, que ganha textura de tecido, de tanta maciez que possui.

Vestido de noiva feito com fibras de curauá, por Gabriela Mendonça

Segredos da encadernação artesanal

Também são trajes conceituais, sem produção comercial (como o vestido de noiva acima, que aliás está maravilhoso), mas estão aí para nos mostrar que questões tão simples quanto se vestir para sair de casa podem ser repensadas de um modo verdadeiramente sustentável.

 

Capa de papel de Curauá, por Gabriela Mendonça

 A Gabriela se dedica no dia-a-dia a produzir papéis artesanais e reciclados, entre eles esse de fibra de curauá. Se você achou interessante e isso te despertou alguma ideia de projeto, visite o Coracor e conheça mais sobre esses produtos.

E não gente, isso não é um publieditorial. Alguns projetos merecem ser comentados e discutidos, e a Vila está aqui para dar espaço para as boas propostas. Especialmente se são inteligentes.

Então, vamos nos manifestar?

Fotos cedidas por Bruna Bielemann e Gabriela Mendonça

Não copie, compartilhe.

Clique e leia nossa licença com as regras para reprodução.

Você vai gostar também de:

, , , ,

7 Responses to Garimpei EcoModa, a proposta das roupas sustentáveis

  1. hellen 20 de novembro de 2012 at 9:10 #

    ameii muito legal a minha mãe faz biscuit

  2. Gian Carlo 13 de novembro de 2012 at 14:30 #

    Aplauso!!!
    A idéia é justamente gerar essa discuçao e que a gente começe a pensar (ou REpensar) a maneira como vemos o mundo, nao necessitamos retirar da natureza tanta coisa como antes, nao necessitamos mais alimentar essa industria destrutiva que só pensa no lucro individual esquecendo que temos um só planeta para mais de 7 mil millones de habitantes, Reduzir, Reciclar, Reutilizar, o caminho é por ahi…

  3. candida silva 13 de novembro de 2012 at 10:43 #

    muito bom

  4. Sandra Vasconcelos 5 de novembro de 2012 at 19:26 #

    Olá Cris, adorei o post.

    Realizamos um desfile de moda sustentável em SP bem bacana e com roupas tão lindas como estas.

    A vantagem, é que ao contrário destas conceituais, a maioria dá pra usar!

    Quando puder, dê uma olhada lá no blog da Babel das Artes.

    Abs, Sandra

  5. Índia 2 de novembro de 2012 at 13:37 #

    Pois é….acho bem interessante saber que tem pessoas com ideias inteligentes,ajudando o nosso planeta!
    Só falta as roupas serem mais bonitas ou menos exóticas e serem de mais facil acesso da população em geral,assim geraria mais lucros.
    Falo isso porque as vezes que vi roupas sustentáveis foi na televisão criadas para desfiles,as roupas mas parecia fantasias e
    saia da realidade do povo e não daria para serem usadas no dia-a-dia!
    Falo por mim que não sei onde vende,mas vou me informar melhor a respeito.
    Derepente o acesso ja esta mais facil e eu estou por fora! rsrs
    Agradeço por compartilhar esta ideia conosco.
    Bjinhus!!

    • Cris Turek 5 de novembro de 2012 at 18:50 #

      India como eu disse no texto essas são roupas conceito e não são produzidas para serem usadas. Pelo menos ainda.

  6. Dona Coisinha 2 de novembro de 2012 at 10:45 #

    Amei! Nossa, esse post é o meu preferido de todos os tempos! 🙂
    Um trabalho lindo demais. É fundamental divulgar design dessa qualidade feito no Brasil… adorei o luxo que vira luxo da estilista Bruna Bielemann.
    E fiquei fascinada com as criações da Gabriela Mendonça… essa semana mesmo estava sugerindo para um amigo fazer o figurino de suas apresentações com roupas de papel. Ela transforma papel em poesia!
    Parabéns!

Deixe uma resposta