Passeio à Tracunhaém, a rota do barro

Passeio à Tracunhaém, a rota do barro

Passeio à Tracunhaém, a rota do barro

Pra começar vou contando que este passeio à Tracunhaém, em Pernambuco, não foi programado para ser um passeio turístico. Conhecer a rota do barro, como é conhecida, aconteceu meio sem querer.

Você já sabe que meu irmão tem um restaurante aqui no litoral da Paraíba, onde moramos. Contei aqui. Ele e sua esposa, que é chef de cozinha, gostam de usar utensílios regionais para servir seus pratos de pegada nordestina.

Estavam precisando repor travessas e panelas e me convidaram para acompanhá-los na viagem, que é rápida porque fica em torno dos 100km daqui da Costa do Conde, na Paraíba. Assim caí em Tracunhaém, numa terça-feira de setembro, num dia fresco de primavera.

Praça central de Tracunhaém

De Tracunhaém eu já conhecia muitos trabalhos, tanto por conta dos tempos de loja da Vila do Artesão quanto porque eu possuo uma escultura do leão de Marco de Nuca em minha casa, que é herdeiro de um dos nomes importantes da arte popular da cidade.

Mas estar lá e vivenciar algumas horas naquele clima que de fato tem o cheiro da cerâmica…..ah, isso é outra coisa.

Enquanto eles compravam o que precisavam, eu explorava espaços, espiava cantinhos escondidos e registrava tudo o que podia, afinal meu tempo ali, naquele dia, seria breve. Sim……quero e vou retornar para visitar outros ateliers.

 

Tracunhaém, como chegar

Se você é uma pessoa que tem prazer em ver a cultura brasileira de perto quando viaja, vai aí a dica de como chegar à Tracunhaém.

Vou considerar que seu ponto de partida seja Recife. Onde fica Tracunhaém

Tomando a BR-408 em direção à Carpina e depois seguindo para Tracunhaém, são em torno de 70 Km de estrada que hoje está em boas condições, tem um trânsito tranquilo e uma paisagem bonita com alguns canaviais e engenhos pelo caminho. Se vier de João Pessoa, o acesso é feito na altura de Goiana passando depois por Nazaré da Mata.

Tracunhaém tem em torno dos 14 mil habitantes, é uma cidade pequena, mas bem cuidada, com uma praça central em frente à Igreja Matriz, onde o tempo parece andar com mais tranquilidade. Hospedagem e restaurantes se encontram facilmente em Carpina, 8 km dali.

Arte popular de Tracunhaém

Boneca da Noêmia exposta no Centro de Artesanato de Tracunhaém

Ali na praça também fica o Centro de Artesanato, que funciona como um tipo de associação dos artesãos locais, onde se estoca, limpa e prepara o barro retirado do Rio Tracunhaém, e onde turistas podem adquirir peças e conhecer trabalhos de vários artistas populares.

Nesse entorno é que se encontra a maior parte dos ateliers e olarias, e é possível circular a pé entre um e outro. Na minha breve visita eu conheci os espaços de Zezinho de Tracunhaém, de Josafá Tibúrcio, de Heleno e Mana, de Domingos, de Titino Brito e Cristina, e de Luiz Gouveia.

Modelagem de barro no atelier de Mestre Zezinho

Em quase todos eles eu presenciei arte acontecendo em alguma das etapas da produção. Até fiz uma live para o Instagram do atelier de José Tibúrcio onde o oleiro modelava mini potinhos, e mostrei o estoque de peças pronta-entrega. Procure no meu Insta que vou repostar lá.

Atelier de Josafá Tibúrcio e estoque de peças

Durante a live muita gente pedia dicas de como comprar, então no final do post dou os contatos que tenho em mãos. Os artesãos estão, em sua maioria, organizados para atender pedidos fora do estado e pra quem tiver a oportunidade de visitar o local, certamente encontrará muitas peças belíssimas para levar.

Ali onde fiz a live, por exemplo, há 5 artesãos trabalhando: Jair, Regilene, Ivanildo, Silvio e o próprio Tibúrcio, cada um com seu estilo e tipo de peça, e todos focados no que fazem de melhor. Apoiados pela oportunidade anual que a Fenearte oferece, produzem para a feira e em função dos contatos obtidos através dela. Lembrando que a Fenearte está entre as maiores feiras de artesanato e arte popular da América Latina.

Estilos e trabalhos de cerâmica dos mais variados- Cristina de Tracunhaém

A cada atelier eu encontrava algo que me encantava, e cada artesão, cada artista popular trabalhando ao seu modo e estilo, peças com sua identidade. Os anjos e bonecas de Cristina de Tracunhaém são encantadores.

Mas também tem arte abstrata e peças decorativas com toques mais contemporâneos. Infelizmente não tivemos tempo de visitar os ateliers de Betinho, Carlos Sivini e Jetro. Por isso precisarei retornar  😉 

Peças decorativas coloridas da artesã Mana

Visitei o atelier de Mana e Heleno, e por lá a cor faz parte da coleção de peças decorativas bem como o barro natural em objetos com belíssimo design.

E enquanto eu suspirava entre um atelier e outro, meu irmão e cunhada compravam seus utensílios.

Panelas de barro esmaltadas de Tracunhaém

Vale dizer que Tracunhaém não é só barro na atividade criativa. Tem artesãos de mãos cheias que esculpem a madeira e modelam o papel machê. Mas isso é papo pra outra hora.

Por fim

Antes de achar que tem poucas imagens neste post, vou avisando que fiz tantas fotos, mas tantas, que me obriguei a colocar num álbum lá no Flickr. Clica nas setas e role as fotos aí abaixo ou clique e passe lá dar uma espiada geral. Tem muita coisa linda.

 

Passeio à Tracunhaém, a rota do barro

Como prometi, seguem alguns contatos destes artesãos e artistas populares. Considere que é possível haver troca de números de celulares ao longo do tempo, então não tenho como garantir a validade indefinida  🙂 

Mana e Heleno

Rua Nair Bezerra da Silva, 29 – Centro
(81) 99202-5183 / 99692-6255 / [email protected]

Marcos, Guilherme e Marcelo Borges (filhos de Mestre Nuca)

Rua Manoel Pereira de Moraes, n 110, Centro 
(81) 99433-8330
(81) 99557-8299

Mestre Zezinho

Av. Desembargador Carlos Vaz, 85, Centro 
(81) 3646-1215 (81) 99113-4176
[email protected]

Noêmia das Bonecas

Praça Costa Azevedo, Centro de Artesanato
(81) 99902-0967

Titino Brito

Rua Alberto Coutinho Vieira,85 – Centro 
(81) 99497-9159 / 99709-3773
[email protected]

Cristina de Tracunhaém

Rua Alberto Coutinho Vieira,85 – Centro 
(81) 99107-0867 / 99766-5266
[email protected]

Luiz Gouveia – Oca Tauá

Praça Costa Azevedo,100 – Centro 
(81) 99257-3160 / 99470-7898 / 99735-6138 / 9858-2325
[email protected]

Atelier de Josafá Tibúrcio

Av. Desembargador Carlos Vaz, 85, Centro 
(81) 99612-1480 Jair / 99394-4627 Regilene

 

Por hora é isso. Se eu puder auxiliar em algo mais, me escreva. 

Fotos: Cris Turek

 

Não copie, compartilhe.

Clique e leia nossa licença com as regras para reprodução.

Você vai gostar também de:

, , , ,

2 Responses to Passeio à Tracunhaém, a rota do barro

  1. Antonio Carlos Mileu 2 de outubro de 2017 at 16:19 #

    Oi Cris,
    Estava sentindo falta de posts como esse em que você passeia mostrando lugares, pessoas, artes e artesanatos. Obrigado

    • Cris Turek 4 de outubro de 2017 at 16:26 #

      Que bom saber Antonio Carlos. Nem sempre consigo fazer estes passeios, por isso os posts não acontecem. Mas está anotada a sua sugestão 😉

Deixe uma resposta