Respostas para aquelas dúvidas sobre artesanato

Considerações sobre dúvidas de artesanato

Não tem muito tempo escrevi um post compartilhando um momento pessoal de transição, contando das dúvidas que tinha sobre a qualidade do meu trabalho e sobre novos rumos a seguir. As dúvidas eram não só sobre artesanato em si, mas sobre a opção profissional que está em torno dele, e no meu caso específico sobre blogar.

Bom, a primeira coisa que tenho que dizer é que o retorno que recebi foi maravilhoso, inacreditável até. Foram inúmeros comentários deixados no post, emails recebidos, recados em redes sociais, tantos, mas tantos, que entendi que estou acertando bem mais que errando, e pra você que me escreveu, vai mais uma vez meu agradecimento carinhoso. 

Agora estou aqui de volta, mas desta vez pra dividir as considerações que resultaram desse questionamento, e que o seu auxílio transformou. Também quero dar partida numa nova discussão, e que talvez esteja te afetando bastante, pois é relacionada ao artesanato enquanto profissão e fonte de renda.

Sou artesã por essência, e mesmo me dedicando um bocado a aprender mais e a entender mais os assuntos que nos cercam, acabo personificando a frase “Faça o que digo e não faça o que eu faço.” Sempre repito pra quem me pergunta sobre obter sucesso com artesanato, que o ponto principal é ter foco. Mas lá vai Dona Cris Turek, formosinha, xeretando em toda novidade que vê pela frente,  😯

Por isso uma das sugestões que recebi mais de uma vez acabou se tornando o ponto alto da minha lista de objetivos futuros. Aproveite e leve pra você:

  • Eleger prioridades

Eleger prioridades

Resumindo é isso que precisamos, eleger prioridades, focar, ser objetivos e administrar melhor nosso tempo em função do que definimos.

Nos cobramos muito o tempo todo, que se ainda não chegamos “lá” provavelmente não merecemos ou não nos esforçamos o suficiente. Sem nos deixar levar pela onda de superficialidade que rege tudo que acontece na internet, não podemos esquecer que temos feito muitos esforços sim, e que talvez só precisamos readapta-los e tomar uma postura diferente.

Auto cobrança pela eficiência, ok, mas sem nos escravizar, porque é o tipo de atitude que nos tira o foco. O tal foco. 

Para você viajante embarcado e embarcada nesse navio chamado Vila do Artesão, aviso que os ventos sempre sopram a favor de quem sabe pra onde quer ir. Segure firme, alguns ajustes acontecerão, mas só pra deixar a viagem mais alegre e divertida.

Enquanto ligo os motores me conte aí (agora vem o assunto para o próximo papo), como as suas dúvidas afetam o seu negócio de artesanato?

Eu vou te ajudar com o que aprendi. Deixe sua opinião, seu comentário ou sua pergunta. Vamos transformar essa conversa toda numa troca positiva porque esse papo vai continuar!!!! Estou esperando.

Não copie, compartilhe.

Clique e leia nossa licença com as regras para reprodução.

Você vai gostar também de:

32 Responses to Respostas para aquelas dúvidas sobre artesanato

  1. Wanda Ertner de Oliveira 12 de março de 2016 at 22:30 #

    Oi Cris. Faz algum tempo, quando retomei o artesanato, falei com você. Minhas dúvidas eram essas mesmas que você mencionou. Mas o que continua a me afligir é justamente onde vender e pra quem, pois consegui me aposentar com o mínimo e preciso complementar essa renda. Continuei a fazer cursos, inclusive diferentes técnicas das que eu já faço.Acredito ser bom para eu me reciclar e poder definir o meu foco como você diz. Inclusive aprendi a arte do mosaico, milenar e maravilhosa. Mas é uma técnica cara e quem nem todos tem acesso. O bairro onde moro é de classe média, mas tem muitos escritórios e as pessoas estão só de passagem.Temos uma feirinha numa das praças do bairro mas o movimento não está dos melhores. Mesmo em datas importantes como o Natal e o Dia das mães.
    Tenho frequentado feiras importantes como a Mega Artesanal para ver se consigo descobrir qual o mistério do sucesso dos artesãos famosos, suas vendas e seus cursos. Qual a melhor técnica ou qual delas está fazendo mais sucesso no momento para ver se consigo também ter uma boa renda com esse passatempo tão maravilhoso e de que eu gosto tanto. Se tiver alguma idéia fale pra mim. Por favor. Um abraço da sua fã Wanda.

    • Cris Turek 13 de março de 2016 at 17:57 #

      Wanda, no artesanato faz sucesso quem trabalha com o que mais ama e domina. Importante: definir qual é a técnica que você gosta mais e que sabe fazer melhor. Depois se aprimorar nela cada vez mais. Muitas vezes o próprio trabalho, por se destacar dos concorrentes, vende-se a si próprio, e este é o caso do sucesso de muitas artesãs famosas. Enquanto isso não acontece você precisa fazer como a galinha que canta os ovos que acabou de por. Tenha uma página no Facebook, uma página e não um perfil. Torne esta página como seu site e lá poste somente as coisas do seu trabalho, suas peças prontas e seus contatos de venda. Continue participando de feiras e construa uma boa relação de troca de informações com seus clientes. Eles te dizem o que buscam e o que gostam mais. No mais amiga, é trabalhar como qualquer outra profissão, com dedicação e observando sempre quem já está muito à frente em seu caminho. Se é pra se espelhar, que seja sempre nos bons 😉 Beijos.

  2. Maria Fernanda 22 de outubro de 2014 at 13:41 #

    oi Cris,
    Li seu 1º post sobre suas incertezas e agora li esse, só tenho a dizer que você não é a única nesse barco (assim como outros leitores que publicaram a mesma coisa). Hoje o artesanato para mim é algo, vamos dizer assim, 2º plano para o tempo gasto mas 1º plano em questão de paixão pelo que faço. Tenho meu emprego de 8h diárias, mas quando chego em casa me dedico ao upcycling/diy. Tenho minhas inseguranças também e ler seus posts só me dão forças para seguir no que eu amo e me arriscar nesse mundo novo (pra mim né, vc já conhece beeeem).
    A vida não é feita de desistências, mas de mudanças. Quando deixar de fazer algo, não é que você desistiu, mas que você mudou! e mudar é alimentar a alma de “novo”.
    Sucesso….bjos

    • Cris Turek 23 de outubro de 2014 at 20:00 #

      Maria Fernanda esse bate papo que estamos todos batendo a respeito do assunto está rendendo ótimos frutos. A discussão vai enriquecer a experiência de cada um, com certeza. Continue participando, me interessa muito sua opinião. Beijo e obrigada.

  3. Sonia Campos 21 de outubro de 2014 at 15:07 #

    Olá Cris!
    Que coisa engraçada, não é? Acho que a maioria de nós que fazemos artesanato temos o mesmo problema: não sabemos a que queremos nos dedicar mais. rsrs
    Eu também falo sempre que vou manter o foco e logo lá estou eu testando novas idéias. Acho que é por isso que ainda não consegui ganhar dinheiro com artesanato.
    Mas estou ponta para mudar essa situação. Estou deixando o meu trabalho em um Grupo de música para casamento e vou me dedicar ao que eu amo fazer: o artesanato.
    Preciso primeiro fazer um plano de negócio. É o que todo mundo diz. Só que não sei por onde começar. Já procurei o SEBRAE mas o modelo que eles tem não é para alguém que como eu tem muita matéria prima mas nada de dinheiro. Não sei também, estabelecer metas. Enfim, não sei como fazer um plano de negócio. Você pode me ajudar? Tem algum que funcione para micro-micro empresário? rsrs
    Obrigada pelos seu blog e suas postagens sempre tão inteligentes e divertidas.
    Abs,
    Sônia

    • Cris Turek 23 de outubro de 2014 at 20:06 #

      Sonia um plano de negócios é importante quando já se sabe exatamente no que investir o tempo e o “material/dinheiro”. Por isso eu sugiro que você perca umas horas analisando em que frente de artesanato, que técnica você vai colocar sua energia. Isso define todo o resto. Posso ajudar sim com algumas dicas, mas quero que você primeiro defina isso. Que tal? Me escreva dando notícias que seguiremos com esse assunto e quem sabe rola até um post. Beijos.

  4. erceli lima 21 de outubro de 2014 at 15:06 #

    boa tarde,
    eu passei a minha vida inteira inventando…e a cada coisa que me interessa, eu saio e compro mundo de coisas para fazer tb. sou curiosa e adoro inventar. mas em tantos anos de estrada, nunca ganhei dinheiro com artesanatos… e nunca tentei investir em aprimorar meus conhecimentos e meus dons. sempre tenho mundo de coisas entulhadas. primeiro pq não aprimoro, segundo pelo fato de não aprimorar, tenho vergonha de mostrar meus trabalhos. muitas das vzs nem quero tb vender, por falta de confiança no que eu faço.
    meu sonho é poder trabalhar só com artesanatos, mas não consigo ganhar dinheiro nessa area. e não tenho tempo para me dedicar apenas nessa area. hj trabalho em uma area que detesto,e sonho em trabalhar apenas com artesanatos, tenho muita materia prima, muitos maquinarios,mas tenho medo de largar o certo e partir pro duvidoso… e não sei exatamente por onde começar. gostaria muito de receber orientações.
    obrigadA!

    • Cris Turek 23 de outubro de 2014 at 20:10 #

      Erceli acho que você está precisando definir um rumo, um caminho principal no qual vai colocar sua atenção. Se você já tem ferramentas e material, está com um bom começo. Agora é escolher a técnica preferida, e é isso que deve ser, a preferida, e procurar cursos pra aprender dicas e segredos de profissionais. Pense nisso, decida e procure por cursos presenciais, que muita coisa vai clarear, pode acreditar. Beijos.

  5. silvia santos 20 de outubro de 2014 at 11:00 #

    oi,cris! sou brasileira,pernambucana que mora na grecia.
    passei acho que um mes sem computador e so agora to lendo os e-mails que a Tempo nao abria.
    bem ,a respeito do seu trabalho e sem sombra de duvida um acerto,um sucesso tudo de bom,que tem mi ajudado muito,nao sou artesa,mais adoro aprender egosto muito de artesanato,como todo bom nordestino,e fazer algo com as proprias maos e tudo de bom.
    tiro muitas ideias do seu blog,tem algumas coisas que nao esta ao meu alcance para fazer e outras faco do meu jeito.
    sabe quando recebo seus e-mails e da um gostinho bom de aprender algo novo,de ver coisas bonitas e muito Legal.
    aqui na grecia sou dona de casa,tenho uma filha de 4anos,que mi dedico muito a ela,agora que ela comecou na escolhinha ,tenho tido um tempinho.
    aqui sou so para tudo e dificil,mais me sinto mais util quando aprendo algo novo,mi da alegria,tenho que ser firme para cuidar de minha filha. sinto muita falta do brasil e seu blog mi faz sentir perto das coisas dai.
    numca entrei nos blogs daqui,gosto da minha lingua e do artesanato do brasil,apesar da globalizacao,temos um tempero diferente,um jeitinho especial par fazer as coisas no caso artesanato.
    minha queria,sei que vc nao precisa de mim para ti dizer isto mais seu trabalho e maravilhoso e pelo que tenho lindo nao so faz muito bem para mim,mais para muita gente ai.
    nao tenha duvida que estais no caminho certo. que deus ti abencoe e que ti de muita sabedoria para vc continuar a sua jornada.
    bj,fique com deus.
    silvia.

    • Cris Turek 20 de outubro de 2014 at 18:35 #

      Silvia que legal ter uma amiga na Grécia, puxa. Já tive o prazer de conhecer alguma coisa de seu país e tenho lindas lembranças. Agradeço suas palavras e digo amém. Que Deus me dê sabedoria pra ajudar a todos artesãos que me escrevem. Foi por isso que a Vila nasceu então, eu espero que ele continue me inspirando pra vocês. Beijo grande querida.

  6. Elza de Almeida Gomes 19 de outubro de 2014 at 12:55 #

    Cris gosto muito de ler teus comentários pois tuas considerações são muito proveitosas para quem faz arte e artesanato.Descobri que meu maior problema é a falta de foco pois diversifico muito meus trabalhos.Obrigada.Bjs

  7. Flavia Pestana 18 de outubro de 2014 at 9:01 #

    Olá Cris..

    Sábias palavras….Minha grande dificuldade é mostrar para o público em geral, sejam clientes ou não, de que o trabalho artesanal é algo que exige tempo, dedicação e estudo…A maioria vê como um hobby, um passa tempo, para aquela mulher que desistiu de trabalhar fora, para se dedicar aos filhos e agora quer ganhar uns trocadinhos….Mudar esse pré conceito, é difícil. Até mesmo a familia não encara como sendo um negócio. Eu, particularmente não preciso de uns trocadinhos, preciso de dinheiro mesmo, sempre quis ter negócio próprio, trabalhar com o que aquilo que faz meu coração palpitar, e aí encontro as pedras pelo caminho…”mas isso não dá dinheiro”, “nossa agora ela é empresária, rsrsrs”. Isso machuca e muito, nos deixa travada….Nunca sei se a mente do ser humano é arcaica ou despreparada….

    Falei demais……

    Beijos….

    • Cris Turek 20 de outubro de 2014 at 18:16 #

      Flavia na verdade tem muitos fatores envolvidos nesses conceitos ultrapassados, e, historicamente, tem um bom fundo de realidade. Vamos falar mais a respeito, e quem sabe juntos, encontrar um modo de se posicionar frente à isso. Confie, seu caminho e sua opção são válidos.Bjs.

  8. Joséli Fraga 17 de outubro de 2014 at 20:30 #

    Olá Cris,muito bem tocado esse assunto,pois o artesanato tem altos e baixos,e qdo estamos no baixo é que pensamos no que melhorar ou não, mas a maior dificuldade é fazer as pessoas entendam que artesanato é profissão, quando compram ainda choram para baixar o preço às vezes,mas o calculo eles não fazem:material+criatividade+tempo+dedicação… Realmente esse assunto nos renderá Cris, mas que bom que temos você para proporcionar essa roda de amigas do artesanato.

    • Cris Turek 20 de outubro de 2014 at 18:31 #

      Pois pode acreditar Joséli que vamos falar muito nisso, e bem em breve. Continue participando, isso faz toda a diferença. Beijos.

  9. Filomena Nogueira 17 de outubro de 2014 at 16:26 #

    Olá Cris! Já faz um tempo que vou espreitar o site Vila do Artesão e meu primeiro trabalho foi uma experiência quase bem sucedida! Uma luminária feita de garrafas e garrafões pet Sempre tive jeito para trabalhos manuais, creio que herança da minha mãe porque de certa forma, somos 5 irmãos e 4 de nós tem um dom natural para as artes! A minha mãe, sempre me incentivou a fazer disso negócio mas, infelizmente ainda não posso dedicar-me a 100% ao que gosto de fazer…sou vigilante de profissão e isso consome-me muito tempo, até tempo que considero “roubado” à família pois trabalho por turno e às vezes aos fins de semana! Apesar de tudo, sempre me debati com a falta de um espaço que pudesse chamar de atelier onde pudesse começar e largar trabalhos sem me preocupar se as crianças (gémeos de 7 anos muito curiosos!) ou os meus gatos, se aproximassem e danificassem ou se magoassem com algum trabalho a meio. Até que o meu companheiro alugou um espaço para mim o que deixou o meu coração cheio de alegria e esperança! Agora surgem as dúvidas e quase obrigação de TER artigos já feitos para anunciar e quem sabe começar a vender. As minhas maiores dúvidas são: POR ONDE COMEÇAR? Será que existe um público alvo? Que valores deverei cobrar por trabalho confeccionado! Algumas já foram respondidas como a dúvida da Tânia França…acredito que, ao acompanhar de perto as perguntas e respostas, vou aos poucos esclarecendo as minhas também! Obrigada por estar desse lado Cris Turek, sou uma fã incondicional e espero que fique connosco muito tempo, desejo de uma iniciante nas artes! Beijo aqui de Portugal para você com todo o carinho!

    • Cris Turek 20 de outubro de 2014 at 18:30 #

      Filomena quanto orgulho eu sinto de ter amigas em Portugal e poder auxiliar de algum modo. Fico feliz por isso. A pergunta de um milhão de euros: por onde começar? Querida, espero que antes de tudo você encontre um tempo para encaixar sua produção, mesmo que mínima mo momento.A primeira dica é escolher uma atividade apenas, uma técnica apenas e ficar nela, até porque você não dispõe de tempo. E aprenda a calcular seu preço. Pra isso dou uma ajuda nesses posts,segue o link do primeiro depois é só ler na sequência:http://www.viladoartesao.com.br/blog/2011/10/como-calcular-o-preco-de-seus-produtos-de-artesanato/
      O resto desse papo vamos ter mais adiante, quando voltarmos a falar das dúvidas que temos. Acho que já tem coisas pra ocupar seu estudo por hora. E se precisar, me escreva. Beijos.

  10. Ana Cristina 17 de outubro de 2014 at 16:26 #

    Cris, como vc mesma disse algumas vezes queremos abraçar o mundo, mas os braços não são tão compridos qto imaginamos. Já me aventurei por muitas técnicas, no fim posso dizer que gosto de todas, mas desde o início do ano resolvi me focar no scrap combinado com técnicas de encadernação. Minha maior dúvida é com relação a como me iniciar no processo de vendas, já vi vários sites, mas no fim sempre bate uma certa insegurança, se o produto está bom o suficiente para começar a comercializar, para quem fazê-lo, e coisas relacionadas. Acho que no fundo é mais falta de segurança mesmo, algum apoio moral para dar as caras.

  11. Airles 17 de outubro de 2014 at 13:41 #

    Ola amigos,
    Me cnsidero uma fã de carterinha do Vila Artesão,
    E quero agradecer as dicas maravilhosas.
    Comecei a me interesar a produzir pinturas em garrafas, e agora, passei a pintar em tela, nunca tomei aula, so observando os trabalhos aqui e ali.
    Gostaria de postar os meus trabalhos como forma de receber criticas e com isso me ajudarem a melhorar mais o meu trabalho, so que nao sei como fazê-lo, sou leiga em internet!
    Atenciosamente,
    Airles.

    • Cris Turek 20 de outubro de 2014 at 18:21 #

      Airles receber opiniões de outras pessoas é um bom modo de fazer ajustes para acertar no gosto do seu público. Aqui na Vila você pode enviar fotos para o Mural. Segue o link do post de hoje. As dicas de como enviar, e o tema da próxima semana estão no texto, é só ler com atenção. Estarei esperando. Beijos querida.

  12. Tânia França 17 de outubro de 2014 at 11:47 #

    Meu problema maior é a respeito do valor de cada trabalho, tenho muita dificuldade em vendas.
    Geralmente acado dando de presente minhas peças.

  13. Onairda Ferreira 17 de outubro de 2014 at 11:47 #

    Bom dia Cris! Como é bom ler ou ouvir coisas bem elaboradas e ainda por cima de nosso interesse!
    Ainda não posso dizer que tenho um negócio de artesanato, pois, me divido entre carreira(que está na reta final), família, casa etc. Entre outros sonhos, está o de produzir peças preciosas em patcwork que é minha paixão, que por enquanto estou engatinhando em ritmo lento. Enquanto isso fico com os panos de prato e outras coisinhas que amo fazer. Infelizmente o que me paralisa é o medo de não agradar o público interessado. Qualquer dia crio coragem e mostro um pouco do que faço. Ah, e as pessoas que compram minhas peças, elogiam mas sempre penso que poderia ser melhor.
    Obrigada e continue assim, você é boa no que faz.

    • Cris Turek 17 de outubro de 2014 at 12:48 #

      Onairda esse ponto em que tocou é importante: vou agradar ou não? Vamos falar sobre isso também.Beijos.

  14. Orlinda Machado 17 de outubro de 2014 at 11:46 #

    Puxa,que lindo texto.
    Bom dia!

    Eu sou uma aprendiz de artesanato e de tudo faço um pouco sem a intenção de ser remunerada.Simplesmente faço aquilo se gosto.
    Contando um pouquinho de mim…
    Quando jovem aprendi crochê para ajudar nas despesas,casei muito jovem!!!
    É assim fui me aprimorando lentamente.
    Retomei os estudos e segui a profissão de educadora me consumindo entre estudos,pesquisas,desenvolvimento pessoal e profissional…
    Tive uma intensa caminhada dentro da Educação e procurei em todos os anos de magistério me comprometer com a Formação dos alunos que passavam pelo meu caminho..,
    Sempre fui curiosa e tudo me desafiava a cada mudança entre as áreas do conhecimento.
    Hoje, aposentada me dou o direito de fazer ‘arte’.
    Um dia costuro,outro crocheto ou bordo sempre com um olhar de curiosa…

    • Cris Turek 17 de outubro de 2014 at 12:50 #

      Orlinda na verdade você resumiu o que deve ser o esforço de qualquer profissional, inclusive o artesão: aprender, se especializar e buscar capacitação. Isso será ponto de nossas próximas conversas. Beijos.

  15. norma randemark 17 de outubro de 2014 at 11:03 #

    Oi Cris, queria te dizer apenas que seu trabalho junto a nós, principalmente, as iniciantes na arte é uma coisa muito preciosa, portanto, não nos deixe porque precisamos dessa tutoria, mas, alem de tudo precisamos de uma tutoria sensível, humana e verdadeira. obrigada, bju norma

    • Cris Turek 17 de outubro de 2014 at 12:54 #

      Norma estarei aqui sempre que precisarem. Escreva quando quiser. Beijos e obrigada pelo carinho.

  16. SALVIANA PINHEIRO 17 de outubro de 2014 at 9:02 #

    ÓTIMAS DICAS. PRETENDO INGRESSAR NO MUNDO DO ARTESANATO.

    • Cris Turek 17 de outubro de 2014 at 12:56 #

      Salviana se tiver perguntas, fique à vontade pra fazer. Bjs.

Deixe uma resposta